Ir para o Conteúdo

Newsboard


Posts from 2010 / April    Return to all Posts

Algo que no se ve, pero se siente

por Baffigi - Niten Argentina - AR/Buenos Aires - 23-Apr-2010

Hace unos años, por esas cosas de la vida, decidí retomar mis estudios en las artes marciales. Quería algo diferente donde los golpes de puño y las patadas, no fueran todo, así, un día me encontré con una persona que me mostró NITEN.

Desde el primer momento comprendí que había algo diferente, algo que no se ve, pero se siente. Sempai Joel me saludo y de pronto me encontré haciendo katas con un bokuto. Extraño sentimiento este, que nos mueve a seguir con la espada en la mano.

Hace un mes un grupo de estudiantes vivimos una experiencia muy feliz en Porto Alegre, por ello cuando me llego la noticia del gashuku, decidí participar. Debo reconocer que me han sobrados motivos para felicitarme por la decisión que adopte.

En el 2009 conocí a sensei Jorge Kishikawa, pero nunca había recibido instrucciones de su parte. Sensei, aunque con sobrada experiencia, títulos y gran conocimiento del arte de la espada, no monta el caballo de la soberbia si no que por el contrario, brinda su saber con humildad y firmeza. Se aprende que la espada no es un pedazo de metal, sino algo que cobra vida en la mano de quien la porta y responde a los sentimientos y conocimientos de quien la empuña. Es en este contexto que cobra importancia una lección en particular que, confieso, me sorprendió de sobremanera, tal vez por que no es algo habitual en un Dojo. Luego de un largo periodo de entrenamiento y en relación a la actitud con que nos desempeñábamos la mayoría de los que entrenábamos, Sensei, nos reunió para explicarnos el sentido de la oportunidad y la iniciativa, antes y después de la acción misma, y para esto utilizo como ejemplo la Batalla de Midway. Quien haya estudiado o, aunque sea, leído algo
de esta decisiva batalla de la segunda guerra mundial, comprenderá que fue bastante compleja y que pueden obtenerse miles de enseñanzas, pero introducirlas al arte de la espada y hacer que el alumno las comprenda, requiere aparte de habilidad docente, un claro conocimiento de la táctica, la estrategia y una capacidad de comprensión de la esencia del combate que no pensé que fuera dable que un maestro aplicara en el marco de un arte marcial.

Después del Gashuko, meditando lo vivido, comprendí porque los hombres y mujeres de NITEN parecen salidos de un mismo molde. Esto ocurre porque que todos siguen las mismas ideas, se respetan las mismas reglas, se sigue y responde a los mismos estímulos (Bushido). En un mundo y una época en que la disciplina es una mala palabra, en que el respeto debe pagarse, en que un líder solo debe recibir y nunca dar, esta fundación indudablemente se diferencia, y pertenecer a ella resulta un privilegio.

He recorrido buena parte del país y he conocido muchos lugares donde las reglas marciales rigen vidas, pero me admiro de ver jóvenes que sin pertenecer a instituciones militares, poseen un tal alto espíritu de cuerpo, cohesión y que a través de sus ansias de superación, satisfacen las expectativas que el Instituto tiene en relación a ellos.

Por supuesto que cientos de estudiantes pasan y se van, pero al margen de cuestiones personales y de voluntad individual, la explicación es simple, para pertenecer hay que seguir las normas y preseptos antiquísimos que hoy respetamos. Los errores se disculpan pero los desconceptos no, y son estos últimos los que hacen que, invariablemente, los que incurran en ellos dejen NITEN, ya sea por la puerta grande o la puerta chica pero el resultado será siempre el mismo: dejar de pertenecer.

Como conclusión puedo decir que si la Batalla la gana aquel que comente menos errores se puede augurar un éxito seguro a NITEN en la Argentina

Jorge Baffigi
Arigatou Gozaimashita
Niten Bs As


Jorge Baffigi é aluno do Niten Buenos Aires, Tenente Coronel da 4ª Brigada Paraquedista das Forças Armadas Argentinas

comments   1 of 1

Joel - Buenos AiresGASHUKU

Faz alguns anos, por estas coisas da vida,
decidi retomar meus estudos das artes marciais.
Queria algo diferente donde os golpes de mãos e chutes, não fossem
tudo,
assim um dia
encontrei-me com uma pessoa que me mostrou o NITEN.

Desde o (Continues)

Sempai Wenzel en Niten Chile

por Donoso Alejandro - Niten - CL/Santiago - 16-Apr-2010

"Las pocas horas que pudimos contar con su presencia fueron realmente valiosas. En mi caso particular porque usted me mostró las deficiencias que tengo. Igualmente porque dedicó minutos valiosos a mi persona para que superara las dichas deficiencias. De igual forma le comento que, a la luz de mi experiencia en la vida, usted es un persona que "invita a aprender" por su sola forma de acercarse abierto y cordial a nosotros los alumnos. "Su visita y dedicación personal a este kohai fue un gran impulso técnico y energético (Hime) porque, aunque perseverante y corajudo, no le resulta nada de fácil el avanzar en el Arte de la Espada. Sin embargo estoy decidido a seguir adelante porque es una opción noble de vida, es mi opción de vida. Así también estoy decidido a concretar el viaje a Río de Janeiro en noviembre, cumpliendo así mi palabra de honor con Sensei. "Demás está decirle que hay diferencia entre el Alejandro Donoso que ingresó en julio del año pasado hasta la fecha. Han habido algunos alentadores avances en mi desempeño físico y en la práctica de katas Niten y en Iaijutsu. Conciente que mi conocimiento de Kenjutsu es muy elemental y básico.. me sentí muy feliz y honrado con su invitación a entrenar junto con los compañeros de espada de 6º Kyu. "Destaco, porque es justo que asi sea, la tarea permanente de los Sempais Patricio y Jaime, quienes con paciencia y didáctica intentan una y otra vez hacerme ver y comprender, la riqueza de las diferentes técnicas y los infinitos detalles que hay en ellas." Arigato gozaimashita Sensei Arigato gozaimashita Sempai Wenzel Arigato gozaimashita Sempais

Mikaboozo

por Daniel Ferreira - Niten - - 16-Apr-2010

"Fui ao templo budista TENZUIZENJI para assistir à palestra do Jorge Sensei. Foi uma palestra de poucas palavras. Uma palestra física, eu diria. Mas vamos ao que interessa. O que foi que aprendi? O que me incomodou? O que reverberou em mim? O que mais me chamou a atenção foi a explicação sobre o novo e a renovação. Coincidentemente estou lendo um livro de filosofia que fala justamente sobre isso. O livro diz, com base na neurociência, que nosso cérebro resiste ao novo. O novo é incômodo. Para aprender o novo é necessário fazer novas ligações neuronais (pelo menos é isso que diz o livro). "Radiante!" Foi outra palavra que ouvi. Quando se vai praticar, deve-se fazê-lo com espírito radiante. Pareceu-me uma imagem muito boa. Novo, renovar, radiante. Boas imagens. Lembro-me também de ouvir falar da desistência, "MIKABOOZO" (monge de três dias). Algo relacionado com o fato de que perseverar no caminho é muito difícil, não importa qual seja ele. Por último, algo que provavelmente deve ter causado certo impacto em todas as pessoas que estavam presentes. As considerações sobre o comportamento daqueles que chegaram primeiro. Não é bom que os que chegam primeiro se tornem arrogantes. Não fica bem. É um comportamento que prejudica a todos. Não posso esquecer de mencionar que reaprendi três formas, três katas (isso sem quebrar nenhum vidro nem bater na luminária). No final fui embora, sem alarde, ou quase. Daniel. PS: "MIKABOOZO", é uma palavra difícil de esquecer. Escrevi a palavra num postIt amarelo e coloquei na minha mesa de trabalho. Todos que olham, me perguntam o que significado. E eu respondo: "Huummm, é uma boa pergunta." Daniel Ferreira é aluno do Sensei e da Sensei Coen há mais de 10 anos Senpai Daniel tem também um blog onde escreve crônicas:
Y.N. Daniel

comments   1 of 1

Ferreira - BA - Lauro de Freitas - Shitsurei shimassu Sempai Daniel,
Obrigado pelas palavras sobre Mikaboozo. Importante compreendê-la.
Arigato gozaimashita
Ferreira - Unidade de Salvador
(Continues)

Primeira Carta

por Bruno - Niten Porto Alegre - - 12-Apr-2010

Konbanwá! Sou talvez o mais novo no caminho aqui na unidade de Porto Alegre e gostaria de deixar registrado meus primeiros momentos no Niten. Estou sentindo a cada treino mais vigorizado e energizado, tanto fisicamente quanto mentalmente. Sei que muita coisa ainda tenho que aprender, procuro sempre melhorar minha disciplina para seguir o caminho da melhor forma possível. Último sábado, dia 3 de abril, tivemos a honra de receber o Sempai Joel e a comissão de Buenos Aires. Acompanhei o treino de jojutsu, onde apenas 1/3 dos katas executados eu conhecia, do contrário que eu pensava, todos tiveram muita paciência em treinar comigo. Logo após começamos o treino de kenjutsu, tendo no primeiro momento a formação de um grande círculo para apresentação de todos. A notável diferença entre a língua e sotaque nos fez lembrar da "variedade de pessoas que treinam no Niten mas que seguem a mesma causa" (momento de ouro do Sempai Alessandro). Tive a grande oportunidade de treinar com o Sempai Joel, o qual me fez concentrar mais no meu kamae e a precisão do meus movimentos a cada golpe. No momento de ouro Sempai Alessandro leu a reportagem sobre o 34º Prêmio Paulista de Esportes 2010, o qual Sempai Joel foi premiado, uma bonita homenagem a quem tanto se dedica no desenvolvimento do Niten. Ao final todos se reuniram para tirar uma foto, percebi como se tivessem treinado há muito tempo juntos, um forte laço. Queria ter ficado para o churrasco, com certeza minha carta dobraria de tamanho. Essas são as palavras do mais novo. Uma pequena demonstração de gratidão. Sayounará, Arigatô Gozaimashitá.

comments   2 of 2

Clarindo - Palmas - Kombawá,
Acredito que essa seja a maior mágica do Institudo Niten, se sentir ligado a todos os membros que levam o ideal do Niten no coração.
Parabéns pelas palavras e visões.
Sayounará. (Continues)

Danilo - Campinas - Konbanwa Bruno,
Muito bem observados os seus Primeiro Momentos no Niten.
A energia após cada treino é realmente revigorante não?! E como você percebeu, essa variedade de pessoas no Niten é notável mesmo. Lembro-me claramente de cada oportunidade de pode (Continues)

Kenjutsu e a Correnteza

por Meriguetti - Niten Rio de Janeiro - - 07-Apr-2010

"Após anos no Niten, verifico que as confraternizações e encontros com o Sensei e os companheiros do Caminho trazem-me sempre renovada alegria e um sentimento de relação familiar que não se desbota. Para mim as reuniões do Niten sempre tem este caráter familiar. Eu sinto o Niten como uma família, uma família que escolhemos e que nos escolhe, onde há os momentos de confraternização e de seriedade, onde há o apoio mútuo e o cuidado recíproco, onde há o respeito e o companheirismo e, também, porque não dizer, a saudade dos companheiros que por distâncias geográficas encontramos apenas algumas vezes no ano. Em uma época que é comum falar em crises familiares, ingratidões filiais, pais omissos e outros tantos problemas desagregadores e degeneradores da núcleo familiar, vejo que os valores e comportamentos que seguimos no Niten resolveriam a grande maioria destas crises familiares. Fico feliz de fazer parte de um grupo, que inspirado nos ensinamentos do Sensei, optou por ser uma boa família e, assim, aprendemos a ser igualmente bons parentes nas nossas famílias." Kenjutsu e a correnteza - sentido de navegar Um mar caudaloso Pelas incontáveis ondas ancestrais, Conhecimentos antigos, Que sopram as velas, dos espíritos de seus navegadores. Rio que desce de montanhas elevadas, Nascida de nova queda d'água, Formada pelas chuvas Corrente de água invencível, Que somente com os olhos, Não se vence. . . não se compreende. O aprendizado vem com a coragem, A persistência de adentrar nestas águas, de submergir, ser engolido milhares de vezes, e sempre retornar á superfície, de retomar a nevagação. De ser parte do mar, de ser parte do rio, de ser a correnteza.

comments   5 of 6

Sensei - - ``Rio que desce de montanhas elevadas,
Nascida de nova queda d`água,
Formada pelas chuvas
Corrente de água invencível,
Que somente com os olhos,
Não se vence. . . não se compreende.`` me fez lembrar as cordilheiras no Chile.
Só vai compreender quem (Continues)

Krysamon - Rio de Janeiro - Meriguetti domo arigato pelo poema, já experimentou escrever algun haikai? (Continues)

Meriguetti - Rio de Janeiro - Hai Senpai,
Sem dúvida o evento repercutiu. Durante a preparação da tese eu li muitos poemas dele além da parte histórica. Eu já conhecia algo, mas fiquei muitos anos sem ler. Quando eu fiz o poema foi ``de um golpe só``, ele ficou pronto rápido e logo e (Continues)

Wenzel - Rio de Janeiro - Que prazer ver o evento das teses do Rio repercutir assim. (Continues)

Meriguetti - Rio de Janeiro - Senpai,
Arigato-gosaimashita Senpai. Sim, eu fiz o poema ( é inédito), mas olhando agora vejo que a tese (evento de Teses do NitenRio nov2009) sobre Fernando Pessoa deixou suas marcas, então é uma autoria conjunta.
Sayonará.
Meriguetti. (Continues)

More Comments

Dê uma transgredida Básica

por Gisella Rao - - 07-Apr-2010

Reproduzimos a Postagem feita por Gisela Rao em seu blog : Vigilantes da Autoestima -Dê uma Transgredida Básica
"Eu não tomava um pileque há 20 anos. Tínhamos ido a um bar no Bexiga (point de universitários na época). O nome do drink era "Seda Azul", feito sei lá com que desgraça. Era bem docinho e devo ter tomado uns três. Nem preciso dizer que saí de quatro, procurando os óculos que estavam na cara ahahaha. Depois disso nunca mais passei do segundo copo. Never, nunca, jamai. Mas ontem foi um dia muito especial. Fui com um novo amigo ao restaurante Sushi Guekko, considerado um dos melhores de São Paulo. Ele é amigo do dono e fazia tempo que eu não comia comida japonesa de uma forma mais ritualística. O saquê rolou solto. E os deliciosos peixes crus e preciosos temperos também. Isso me lembrou uma época em que fiz Kenjutsu, a Arte da Espada. Meu mestre Jorge Kishikawa dizia que era muito comum ver os mestres japoneses tomando pileques e que eles não deveriam ser julgados porque, para eles, só se conhece uma pessoa de verdade quando ela tira as máscaras (coisa que esse tipo de ritual proporciona). Veja bem, não estou fazendo nenhuma apologia à bebida, só estou dizendo que às vezes é legal transcender os domínios e controle da mente (principalmente se você não estiver dirigindo, óbvio. E eu não estava). Bom, a noite foi fantástica e inesquecível. E, claro, praticamente voltei pra casa abraçada a dois coqueiros cantando "Singing in the rain" ahahha Como diz o rabino Nilton Bonder: "Não há tradição sem transgressão. Não há transgressão sem tradição".

comments   1 of 1

Krysamon - Rio de Janeiro - Gisela, a experiência do birudô marcou você, realmente é uma ótima oportunidade de tirar nossas máscaras e estar junto dos Senpais treinando os katas do Bushido. Kampai!!! (Continues)

O Caminho da espada é...

por Krysamon - Niten Rio de Janeiro - - 01-Apr-2010

"O Caminho da espada é a arte de forjar o seu verdadeiro eu, de se tornar uma pessoa melhor, canalizando inteiramente seu espírito e determinação para o aqui e agora, lutando por ippon entre seu oponente e você mesmo, usando uma espada. A espada, por conseguinte, é simplesmente uma ferramenta para disciplinar a si mesmo." - Kodo Sawaki (1880-1965) Kodo Sawaki - (1880-1965) É considerado por alguns como o mais importante mestre zen japonês do século XX. Seus pais morreram cedo e ele acabou sendo adotado por um viciado em jogo e uma ex-prostituta. Aos 16 anos ele fugiu de casa para tornar-se um monge no Eiheiji, um dos dois principais templos da escola Soto de zen. Inicialmente sem sucesso, ele finalmente foi ordenado monge e começou seus estudos zen.

Fonte: http://kenshi247.net/blog/2010/02/10/kendo-is/



Return to last Posts


    topo

    Niten Institute International
    +55 11 94294-8956
    [email protected]